K-POP: MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA


›› autoras: babi dewet, érica imenes, natália pak
›› editora: gutenberg
›› ISBN: 9788582354773
›› número de páginas: 158
›› onde comprar: cultura | amazon | saraiva
›› sinopse: Você realmente sabe tudo sobre K-Pop? Se a sua resposta é não, venha conosco nessa incrível viagem pelo mundo pop coreano. Escrito de uma maneira simples e divertida, este manual leva você a passear pela história da Coreia do Sul e por sua cultura, indústria de entretenimento, música e paixão. E nós te encorajamos a prestar atenção nos detalhes. O K-Pop é feito deles. Cada cor, cada conceito, cada ritmo e expressão significa um mundo de possibilidades, e garantimos que você não vai querer perder nada. O K-Pop mudou a nossa vida para melhor. Quem sabe não é exatamente disso que você precisa?

Como já tinha comentado em outro post, comecei a prestar mais atenção em k-pop de tanto ver coisas sobre aparecendo na minha timeline do twitter. Como eu queria saber o que diabos estava acontecendo (já sabia da existência de k-pop mas nunca tinha realmente parado pra escutar) então corri pro Vitor Castrillo e pedi ajuda pra saber por onde começar a ouvir, já que sempre me pareceu uma coisa muito complexa (pra quem quiser saber: conforme o que pedi pra ele, comecei com Dumb dumb do Red Velvet). Acabei gostando porque era exatamente o que eu estava procurando naquele momento: era feliz, colorido e as coreografias eram ótimas. Eu não ia entender absolutamente nada das letras a não ser que procurasse a tradução, mas isso não me importava muito.

Só que começar a acompanhar k-pop é também começar a ver termos que você não faz nem puto ideia do que significam, como comeback, mv, bias, maknae, disband e por aí vai. As divulgações são diferentes da que a gente tá acostumado, a maneira como os grupos se formam são diferentes do que costumamos ver, as exigências são outras e são insanas, até mesmo a forma como os fãs aproveitam os shows é diferente. E se você começa a ouvir e começa a gostar, não demora muito e você cai nesse buraco do k-pop e fica lá pra sempre. Não que você tenha vontade de sair, de qualquer maneira. Lá é legal e colorido e todo mundo dança.


Pra entender tudo isso você sempre pode pesquisar no Google e perturbar seus colegas de twitter (o fandom de k-pop costuma ser bem prestativo e empolgado pra ajudar). E é aí que entra o livro K-pop: manual de sobrevivência. A Babi, a Érica e a Natália criaram um lugar feito de páginas que tem praticamente tudo o que você precisa saber sobre a cultura pop coreana, tanto que é exatamente isso que está escrito naquele selinho brilhante na capa do livro. E não é exagero.

O livro não te dá só as informações, ele te dá contexto de tudo, inclusive um pouco da história da Coreia do Sul. Tem um glossário com algumas das expressões mais utilizadas e uma explicação bem detalhada de como funciona toda essa indústria por trás dos grupos de k-pop que todo mundo tanto gosta. Eu já tinha uma noção de como a coisa era complexa e cheia de especificidades, mas mesmo assim muitas coisas me deixaram com cara de EITA! enquanto eu lia. Saber o que há por trás desses grupos ajuda e muito a entender e valorizar todo o esforço deles. O fandom de k-pop não tá pra brincadeira não!


Além de todas essas explicações que vão te deixar mais inteirado no que diabos a sua timeline do twitter tanto fala, ainda tem exemplos de alguns dos que são considerados os maiores grupos dentro do k-pop, e mais alguns pra ficar de olho, também com dicas de músicas pra ouvir e conhecer esses grupos. Aliás, o livro todo traz muitos exemplos de grupos e músicas pra correr atrás. Recomendo pegar todos eles e criar uma playlist no youtube, pra poder assistir todos de uma vez e ir decidindo qual os que você mais gosta, qual estilo você prefere, e a partir daí sair pra explorar sozinho. O livro tem inclusive uma parte estilo guia de viagem sobre a Coreia do sul, e até eu que sou enjoadíssima na hora de comer fiquei com vontade de experimentar várias das comidas citadas.


Mas por que procurar um livro sobre k-pop se você pode achar tudo isso fuçando na internet?

Primeiro, porque a lombada do livro brilha e fica linda na estante.

Segundo, você tem na sua mão um livro extremamente organizado com praticamente tudo o que você precisa saber, todas as informações já filtradas e reunidas e juntinhas, só esperando pra serem lidas. Claro que nada te impede de procurar coisas a mais depois de ler, mas o livro te dá uma base ótima pra poder caçar mais informações depois. Assim, você não precisa se aventurar por aí sozinho e sem rumo.

E terceiro, as autoras sabem exatamente do que elas tão falando. A Babi Dewet trabalha respirando e transpirando k-pop desde 2012, com videos no youtube, participando de eventos, ajudando a trazer os shows aqui pro Brasil e ainda inserindo a cultura coreana em seus livros. A Natália Pak, além de filha e neta de sul-coreanos, é a comandante do SarangInGayo, que não só é o site brasileiro mais antigo sobre entretenimento e cultura sul-coreana, mas também ganhou reconhecimento do próprio governo e mídias sul-coreanas pelo esforço e comprometimento com a divulgação da cultura sul-coreana no Brasil. A Érica Imenes é editora-chefe do SarangInGayo, e já cobriu eventos e escrever matérias sobre o assunto, sem contar a parte de produção de eventos. No livro tem uma biografia de cada uma delas. Repito, elas sabem exatamente o que estão falando.

E mesmo que você seja uma pessoa que já está dentro do buraco do k-pop e já saiba como as coisas funcionam, ainda assim o livro é uma ótima pedida porque pode te ajudar a convencer outras pessoas a conhecerem mais sobre k-pop, sem contar o que já citei de ser ótimo ter em mãos um livro que já tem todas as informações reunidas e com selo de qualidade.

E a lombada brilha e fica linda na estante, eu já mencionei que a lombada brilha e fica linda na estante?

Ah, minha bias é a Joy do Red Velvet

Nenhum comentário :

Postar um comentário