O que Gildo nos ensina sobre o trope "mulheres na geladeira"


Tem um livro infantil que eu gosto muito, Gildo, da Silvana Rando.

Esse é o Gildo.


O Gildo é um elefantinho muito simpático e corajoso, mas que tem pavor de bexiga. Ele vai numa festinha de aniversário de um colega e a mãe desse colega coloca amarrado no braço do Gildo justamente uma bexiga. MOMENTOS DE TENSÃO. Ele não consegue tirar, então acaba passando o dia inteiro tendo que lidar com aquela bexiga ali, até que acaba percebendo que não tem mais medo dela e todo mundo fica feliz.

Moral desse post: se dá pra escrever uma história de aprendizado e superação em 25 páginas usando um elefantinho e uma bexiga, dá pra escrever um livro jovem adulto sobre aprendizado e superação sem precisar estuprar/matar/abusar/torturar sua personagem feminina para que o protagonista masculino aprenda alguma coisa ou acumule experiências de vida.

Fim.

Mentira, aqui nesse link tem explicando exatamente o que é o trope "Mulheres na geladeira" e por que ele é nocivo. A Iris Figueiredo, aquela autora linda da duologia  Confissões On-line e que vai lançar livro novo ano que vem pela editora Seguinte #propaganda também já fez um video sobre o assunto.

Infelizmente é mais comum do que se pensa encontrar misoginia disfarçada de sensibilidade em livros young adult, new adult e muitos outros, e a gente precisa parar de bater palma pra isso.


Nenhum comentário :

Postar um comentário