O DUQUE E EU


›› título: o duque e eu
›› série: os bridgertons
›› autora: julia quinn
›› editora: arqueiro
›› ISBN: 9788580411461
›› número de páginas: 281
›› título original: the duke and I
›› série: bridgertons
›› onde comprar: cultura | saraiva | submarino | amazon
compras feitas pelos links indicados geram uma pequena comissão ao blog
sinopse: Simon não quer casar e muito menos ser perturbado por causa disso. Daphne quer casar, mas sofre de uma falta de pretendentes decentes crônica por ser vista sempre como "a grande amiga". O plano perfeito é Simon fingir que corteja Daphne, assim pode ser deixado em paz e ela pode atrair a atenção de outros pretendentes.
Um tempão atrás andei numa fase em que tinha que fazer um esforço homérico pra gostar de romances nos livros. Li alguns com foco nisso que foram muito bons, li outros em que o foco era outro mas o romance era grande e também gostei bastante, mas tenho a impressão de que, na maioria, achei o romance um pé no saco. Eu tinha a impressão de que o livro me vendia uma história mas me dava outra, ou acabava irritada de ver uma trama que tinha tanto potencial de repente ser deixada de lado porque a mocinha conheceu o mocinho e o romance tomava o protagonismo. Ou os clichês não eram bem trabalhados: instalove mal escrito, paixões sem base de sustentação nenhuma, relacionamentos abusivos mostrados como românticos e bonitos, mocinhos babacas para os quais eu não tinha a menor paciência, mocinhas mal desenvolvidas, diálogos piegas. Parte disso era porque, provavelmente, acabei tendo uma overdose de YA: li muitos e comecei a ficar tão chata com relação ao que eu gostava ou não neles que a maioria eu descartava logo de início.


Tinha decidido, então, que era hora de procurar coisas mais fora da minha zona de conforto leiturística e aproveitar pra resolver alguns preconceitos literários que eu tinha. Como ainda não estava muito animada pra me aventurar pelos New Adult (odiei "Belo Desastre" com todas as minhas forças e "Entre o agora e o nunca" eu aguentei 5 parágrafos), resolvi dar uma chance para romances eróticos: não gostei de "Cinquenta tons de cinza" e achei "Toda sua" só um pouco menos insuportável, mas ia testar outras coisas pra ver se alguma delas dava certo. Acabei achando meu espaço neles com "Cretino irresistível" e "Peça-me o que quiser", então considerei a tentativa muito bem sucedida. Acabei decidindo, então, que queria voltar a ler romances históricos: os famosos romances de banca.

Lia muitos deles quando era adolescente, pegando emprestado os da minha mãe, mas acho que na época também acabei saturando, ou me interessando por algum outro gênero, tanto faz, mas o negócio é que parei com eles. Decidi que ia voltar a ler e depois de pegar algumas sugestões consegui "O duque e eu" pelo skoob, comecei a ler, achei legal, mas parei no começo. Faço muito isso, aliás, começo a ler algo legal, mas paro e esqueço de voltar. Não, eu não sei qual é o meu problema.

Depois de muito tempo peguei de novo, li desde o começo... e terminei em um dia e meio. No dia seguinte, comprei o segundo e o terceiro da série e terminei os dois em dois dias. Comprei o quarto logo em seguida... terminei em um dia e meio, e só demorei esse tempo porque tive que parar de ler de madrugada porque tinha que trabalhar no dia seguinte. Aproveitei o embalo e comprei mais dois da Tessa Dare em ebook, que também terminei muito mais rápido do que tinha imaginado. Só não comprei mais porque tinha outros livros que queria terminar primeiro e o bolso já estava começando a reclamar.

"O duque e eu" é o primeiro da série de oito livros sobre os Bridgertons, uma família com oito irmãos e irmãs sensacionais. Uma grande vantagem é que, apesar de serem OITO livros, todos eles têm começo, meio e fim, então de certa maneira podem ser tratados como livros únicos no sentido de que você pode parar em qualquer um deles, se quiser. Eu só não aconselho ler fora da ordem, porque tem um ou outro acontecimento que, se você ler fora da sequência, pode acabar tomando spoilerzinho. Obviamente não é nada que estrague a leitura, mas eu sou chata assim mesmo.

Todos os Bridgertons são divertidos (menos um, mas esse eu deixo pra lá), os diálogos são engraçados, as situações que acontecem são muito boas e o livro alterna os pontos de vista do casal protagonista. Tem muita coisa previsível e alguns clichês aqui e ali, mas achei tudo bem feito e amarradinho na história, então é aquele caso em que os clichês funcionaram a favor do livro.

Daphne é uma fofa cujo filtro verbal às vezes parece mais uma peneira furada, mas mesmo quando solta comentários sarcásticos, é sempre muito phyna e elegante. No contexto do livro, faz sentido ela se sentir encalhada por ter a idade que tem e não ter arrumado um marido ainda, até porque ela quer muito casar e ter filhos e uma família grande e etc. Aliás, essa foi uma das coisas que eu gostei no livro: Daphne não age de maneira desesperada, mas não esconde que seu objetivo de vida é ser mãe e esposa, e também é uma personagem muito bem escrita dentro dessa ideia. Ser personagem forte e ser mocinha louca pra casar pode sim.



Simon também é um bom protagonista e a coisa toda da gagueira dele e da relação com o pai fizeram dele um personagem bem interessante. Só não tenho mais tanto para falar dele porque Daphne rouba toda e qualquer cena em que aparece. Aliás, minto: quem rouba toda e qualquer cena em que aparece é o trio de irmãos Bridgerton (Anthony, Benedict e Colin) e a mãe deles, Violet. Se você olhar pros nomes dos irmãos e irmãs Bridgerton mencionados até agora, aliás, vai notar um certo padrão, e sim, é canon: os oito têm nomes que seguem ordem alfabética.

Outro personagem ótimo do livro só dá as caras em menções dos outros personagens e em trechos de seus textos: Lady Whistledown, a responsável pela coluna de fofocas da alta sociedade - cuja identidade ninguém conhece. Eventualmente descobrimos quem é, mas só bem mais pra frente na série.

O livro não é isento de defeitos. Simon tem algumas atitudes que dão raiva e Daphne toma algumas decisões duvidosas, mas também não sei muito se elas poderiam ter sido de outro jeito. Condiz com os personagens? Condiz, mas dão uma sensação de UGH mesmo assim. Mais pra perto do final o livro perde um pouco o fôlego, mas não fica ruim. De qualquer maneira, é uma ótima opção pra quem quer começar a ler romances históricos ou quer recobrar a fé nos livros de romance.

Pra quem tiver curiosidade, a ordem da série é essa aqui (deixei os nomes em português em destaque, os contos entre um livro e outro não têm em português):

#1 O duque e eu  The duke and I
#1.5 The duke and I: the epilogue II
#2 O visconde que me amava  The viscount who loved me
#2.5 The viscount who loved me: the epilogue II
#3 Um perfeito cavalheiro  An offer from a gentleman
#3.5 An offer from a gentleman: the epilogue II
#4 Os segredos de Colin Bridgerton  Romancing Mister Bridgerton
#4.5 Romancing Mister Bridgerton: the epilogue II
#5 Para Sir Phillip, com amor  To sir Phillip, with love
#5.5 To sir Phillip, with love: the epilogue II
#6 O conde enfeitiçado  When he was wicked
#6.5 When he was wicked: the epilogue II
#7 Um beijo inesquecível  It's in his kiss
#7.5 It's in his kiss: the epilogue II
#8 A caminho do altar  On the way to the wedding
#8.5 On the way to the wedding with second epilogue
The Bridgertons: Happily Ever After (compilado do #1.5 ao #8.5 mais o #9.5)



4 comentários :

  1. Estou com os livros dessa série até o número 7 mas ainda não tinha reunido a coragem necessária pra começar. Fiquei pensando que não estava com vontade de me comprometer com uma série tão longa, mas agora que você disse que as histórias podem ser lidas em separado, pode ser que eu comece a ler agora! Também tive os mesmos problemas que você com romance, acho que a overdose de YA e suas tramas similares me deixaram chata pra esse tipo de coisa, vamos ver se Julia Quinn me salva. ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aproveita que eles têm começo, meio e fim, que assim dá pra ir lendo bem de boa que não rola aqueles cliffhanger desgracento xD

      Excluir
  2. Que postagem interessante! Faz tempo que eu tenho curiosidade por esses livros, não tinha ideia de como eles eram. Agora já sei o bastante para me aventurar assim que puder. Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se aventure sim, eles valem muito a pena, são divertidíssimos *-*

      Excluir