Toda a maravilhosidade de Steven Universe


Já tinha visto muito sobre Steven Universe pelo tumblr: gifs fofos, gifs engraçados e muitos posts altamente passionais sobre o desenho - além de muitos elogios, mas nunca tinha me animado muito pra assistir. Eu já tenho uma preguiça enorme de acompanhar seriados e filmes que realmente quero assistir, imagina assistir um desenho só por curiosidade. Achava que minha época de acompanhar desenhos tinha acabado com os animes que eu assistia quando era mais nova, ainda que esse ano eu tenha reassistido Yu Yu Hakusho e Guerreiras Mágicas de Rayearth, e estivesse quase começando a rever Sailor Moon. Mas Steven Universe não estava nos planos, até que a curiosidade foi mais forte e resolvi dar uma chance. Um amigo me ajudou pelo twitter a encontrar uma maneira de assistir e lá fui eu. Os episódios eram curtos, mais ou menos 11 minutos cada, achei que assistiria alguns e ia acabar enjoando.

Assisti 93 episódios em 3 dias, sendo que quase 50 deles foram seguidos.


STEVEN UNIVERSE, desenho criado por Rebecca Sugar, leva o nome do protagonista (Universe é o sobrenome dele). Steven faz parte das Crystal Gems, que são guerreiras intergaláticas com poderes que vêm das pedras preciosas que são parte do que elas são e cuja missão é proteger a Terra. Garnet (granada), Amethyst (ametista) e Pearl (pérola) são gems, enquanto Steven é meio humano e meio gem, filho do relacionamento entre o humano Greg Universe e a crystal gem Rose Quartz (quartzo rosa). Para que Steven pudesse nascer, Rose, que era a líder das crystal gems, abriu mão de sua forma física, e Steven nasceu carregando sua pedra em seu lugar. Para aprender a lidar com seus poderes e desenvolvê-los, Steven mora com as gems na praia da cidade de Beach City, enquanto seu pai mora no centro da cidade e trabalha num lava-rápido.

Povoada por habitantes bem únicos, altas coisas muito loucas acontecem em Beach City além das aventuras pelas quais as gems e Steven passam. Principalmente porque a situação de Steven é única, então nem Greg nem as gems sabem exatamente o que pode acontecer conforme os poderes de Steven vão se desenvolvendo. Com milhares de anos de idade, elas ensinam a ele aos poucos tudo o que sabem sobre ser uma gem e tudo que isso envolve, mas o aperfeiçoamento dos poderes dele é um aprendizado tanto pro Steven quanto pra elas.

E é essa uma das grandes maravilhosidades de Steven Universe.

OS PERSONAGENS
Todas as personagens têm personalidades bem desenvolvidas, bem naquilo que ninguém poderia definir melhor do que Shrek com sua metáfora de ogros e camadas. Se a princípio cada gem parece ter um traço mais forte de personalidade que poderia cair naquele clichê unidimensional (Garnet é séria, de poucas palavras e quase sem expressão facial por causa dos óculos escuros, Amethyst é completamente alucinada e sem noção e Pearl é prática e maníaca por organização e ordem), quando a trama vai se desenvolvendo e fui conhecendo mais sobre o passado delas e os laços que as unem entre si e com Steven, percebi que Steven Universe possui mais desenvolvimento de personagem do que muitos livros, séries e filmes que já vi.

A lealdade de Pearl e a relação que ela tinha com Rose Quartz sendo passada pra sua superproteção com Steven, o passado complicado de Amethyst resultando em seus problemas de autoestima e de entender seu lugar no mundo e entre as crystal gems, a própria Garnet e quem ela é, Greg e seu jeito otimista e doce de saber que existe um limite no que ele pode fazer e ensinar a Steven e seu respeito pelas gems e seus afazeres, e o próprio Steven, vivendo da melhor maneira possível com uma família nada usual e sabendo de todo o peso que ter a gem de sua mãe carrega, e ainda sem saber exatamente o que o futuro lhe reserva, mas sem perder aquele ar de quem fica 24 horas por dia maravilhado com tudo que acontece.


Sem contar as fusões. As gems, em casos de grande necessidade, podem se fundir, formando assim, pelo tempo que for preciso, outras gems. E essas outras gems têm nomes próprios e personalidades próprias, que contém traços das personalidades das gems que se fundiram. Da fusão de Garnet com Amethyst, por exemplo, resulta a Sugilite, que é gigantesca mas perde o controle e se torna violenta com facilidade. A fusão de Garnet, Amethyst e Pearl resulta na Alexandrite, que é ainda mais gigantesca, com seis braços e uma confusão das personalidades de todas as envolvidas. E tem outra fusão em especial que é a melhor de todas, mas não sei qual o grau de spoiler que isso seria considerado.

Isso resulta em episódios divertidos e quase absurdos, mas também em episódios extremamente emocionais e com temas não muito fáceis de lidar. Como o episódio em que Steven começa a se achar velho demais para comemorar aniversário e começa a envelhecer de verdade, e as gems finalmente se tocam de que como Steven é meio humano, vai envelhecer, e elas têm que lidar com o fato de saberem que, um dia, ele vai morrer. Ou o episódio em que o passado de Garnet e quem ela é é explicado. Eu não esperava encontrar tudo isso em um desenho com 11 minutos por episódio.

E isso tudo não acontece só com as crystal gems e o núcleo do Steven. Todos os habitantes de Beach City ganham o mesmo grau de desenvolvimento, aprendizado e cuidado com as histórias, independente de ser um personagem regular ou que aparece só uma ou duas vezes. Cada um deles têm uma história única, e o desenho faz questão de deixar isso bem claro.

A TRAMA

Inicialmente, as crystal gems são apresentadas como as responsáveis por proteger o planeta de possíveis ameaças causadas por fragmentos que podem causar ou só uma enorme bagunça, ou uma destruição em potencial. A origem delas é o distante planeta Homeworld, mas por algum motivo, elas residem na Terra e nunca podem voltar pra lá.

A trama vai sendo apresentada aos poucos ao longo dos episódios. Aprendemos porque elas estão na Terra e porque não podem voltar, o que são os fragmentos que elas derrotam e guardam dentro de bolhas protetoras. Ficamos sabendo sobre a rebelião, a guerra e o que resultou dela e como cada lado lutou e pelo quê. Outras gems vão aparecendo, mostrando que o futuro da Terra pode depender de muito mais do que a defesa das crystal gems pode oferecer.

Não quero dar muito spoiler porque uma ou outra coisa eu sabia por causa do Tumblr, mas Os Grandes Problemas eu não tinha nem ideia e foi uma boa decisão não ter ido atrás de saber mais sobre antes da hora. E olha que quem tá falando isso é alguém que tem por costume caçar spoilers por vontade própria. Mas isso não quer dizer que ler mais detalhes sobre a trama possa estragar a experiência de assistir ao desenho, de repente saber o que acontece pode aguçar mais a curiosidade sobre a história. O que adiantei aqui já dá pra ter uma noção, e garanto que ela é mais complexa do que parece. Quem tiver interesse e souber inglês pode fuçar na wikia sobre o desenho, lá tem todos os spoilers.

A REPRESENTATIVIDADE

Temos famílias compostas por pai, mãe e filha, e também por mãe, filhos e padrasto, ou pais, filhos e avó, ou mãe e filha, ou pai, filho e três gems, e todas elas são tratadas como válidas e maravilhosas em suas qualidades e problemas. Existe inclusive um episódio em essa coisa da obsessão pela "normalidade", pela família nuclear e tradicional, é questionada e desconstruída.

Temos diversidade de corpos e etnias: tanto humanos quanto gems são altos, baixos, magros, gordos, cabeludos, carecas, jovens, velhos, brancos, negros, e seus corpos não são usados como motivo de piada ou punchline. Padrão de beleza é um negócio que não tem vez aqui.

Temos personagens femininas maravilhosas e nada de estereótipos de gênero. As mulheres de Steven Universe vão desde médica e dona de casa até pequenas aprendizes de espadachim. Steven não é criado na base do "isso é de menina e isso é de menino" e é sensível como seu pai Greg, que tem um respeito enorme pelas gems e pelo trabalho delas e sabe exatamente quando pode e quando não pode dar palpite nisso.

Aliás, apesar das gems serem ditas como não tendo gênero, suas vozes são femininas, assim como suas formas humanoides. E nisso temos a relação entre Pearl e Rose, entre Rubi e Sapphire. E a fusão, que só acontece de forma bem sucedida quando as gems envolvidas estão em perfeita sintonia mental, se dá através de danças em sincronia que fica quase impossível de não ver quando rola um flertezinho no meio. Ou seja, também não têm heteronormatividade.

Achei esses três textos aqui que são ótimos pra ler mais sobre represetatividade em Steven Universe:
Assista: Steven Universe
Sobre Steven Universe e representatividade
Steven Universe e a representatividade

OS SHIPS

São muitos e são muitas as possibilidades. Dá pra todo mundo ser feliz. Se joga.


Agora dá pra aproveitar que os episódios voltam hoje e fazer maratona <3






Nenhum comentário :

Postar um comentário