30 linhas pra não fazer sentido


Eu achei que parar de seguir as notícias sobre a situação política do país me ajudaria um pouco a ficar menos pessimista sobre a vida, o universo e tudo o mais, e até um certo ponto talvez isso tenha ajudado. Aquela coisa meio “o que os olhos não veem, o coração não sente”, sem contar que isso ajuda a não ficar querendo enfiar o pato da Fiesp pela goela abaixo de tanta gente que eu amo. Então achei que talvez só isso, nesse momento, não era o suficiente, então parei de ler toda e qualquer notícia de qualquer coisa que não possa ser resumida numa lista do Buzzfeed ou que não possa ser resolvido num gif de gatinho. Mas isso não resolveu, e leitura nenhuma anda resolvendo também porque eu fico super empolgada quando vejo as capas e as sinopses mas quando pego pra ler, a vontade mesmo é de deixar pra lá e passar 3 horas olhando pra tela do Neko Atsume – que, por sinal, já consegui também os mementos dos gatos novos e agora minha vida meio que perdeu totalmente o sentido. E foi exatamente nesse momento que resolvi que, já que é assim, eu me dou o direito de também não fazer muito sentido, não. Sim, eu sou esse tipo de pessoa que tem epifania com Neko Atsume, mas tenho certeza de que vocês podem aprender a lidar com isso. Mas a questão é que prestar atenção nas coisas e nas problematizações das coisas e em COISAS no geral anda algo tão desgastante na minha vida que eu resolvi que, dessa vez, só por um tempinho, eu não quero acompanhar nada nem me inteirar de nada em lugar nenhum. Só que eu não quero ter peso na consciência por causa isso, então fiquei pensando em como conseguir essa proeza: ser egoísta sem me sentir uma pessoa horrível. E percebi que, no final das contas, tinha arrumado mais um problema pra minha cabeça, sendo que minha cabeça já anda ocupada demais com wishful thinking pra paroxetina fazer o efeito que é pra fazer. Porque a alternativa é aumentar a dose, e eu não tava muito afim de ter que fazer isso - apesar de que vai ser o jeito. Claro que também sempre tem aquela possibilidade de encher a cara de pizza, porque esse tipo de comida, pelo menos comigo, serve de ótima distração pra quando a bad bate na porta e a gente não só abre, como até tira o gato do sofá pra ela sentar (claro que isso metaforicamente falando, já que eu não tenho coragem nem de tirar o gato da minha cama pra que EU possa dormir). Isso se eu conseguir voltar a comer em horários considerados funcionais pela sociedade, porque por enquanto a rotina por aqui é dormir 6 da manhã (não me pergunte como eu preencho minhas madrugadas, não vou saber responder porque nunca presto atenção nisso o suficiente: o costume é dar meia-noite, aí eu pisco e são 6 da manhã e talvez eu tenha passado 6 horas no Neko Atsume e no Buzzfeed), acordar 9 e meia pra tomar leite, voltar a dormir, acordar 4 ou 5 da tarde, jantar 9 da noite e... é isso. No final das contas, eu até posso tentar encontrar alguma coisa produtiva pra fazer nesse tempo (não produtiva de forma que seja socialmente aceitável) desde que não precise tirar o pijama ou que não precise lavar o cabelo mais de uma vez por semana. A única coisa que eu sei é que eu quero que a situação política do país se dane porque meus calos andam doendo muito mais e não há paroxetina que resolva.


2 comentários :

  1. entendo DEMAIS isso de não querer mais ler e me inteirar sobre nada, que é cada coisa absurda que a gente fica bugada, né? é FODA. sobre neko atsume (e mudando de assunto, haha) eu abandonei antes pq a memória do meu cel tava pouca, mas agora não resisti ao kleptocats (tem gatinho do BOWIE!!!!!!!!!!!!) então conheça essa gracinha e volte a colecionar gatinhos, agora com carinha de cultura pop <3 huauahuahua

    ResponderExcluir
  2. @K ARINE
    Nossa eu fico meio descaralhada da cabeça oO kleptocats: PRECISO TESTAR.

    ResponderExcluir