Das coisas não ditas porque achei que já tinha dito mas na verdade não disse


Eu sei que não é só comigo que isso acontece, então pega na mão da tia e vem.

Te mandam um email, tanto faz sobre o que, qualquer assunto vale, mas te mandam esse email, e esse email é daquele tipo que pede resposta. Não importa se é um texto enorme ou um ok, mas você precisa responder. Então você pensa na resposta toda bonitinha, toda completa e coerente, mas por algum motivo, por alguma intervenção divina ou não tão divina assim, você pensa "respondo daqui a pouco".

Você não vai responder daqui a pouco porque daqui a pouco não vai chegar nunca.


Não sei em que ponto entre pensar na resposta e efetivamente responder que meu cérebro começa a dar ruim, mas se tem uma coisa nesse mundo em que ele é muito bom é em arquivar coisas nas gavetas erradas. Se o mais comum deve ser que o cérebro das pessoas seja organizado por ordem cronológica, alfabética, de importância ou, sei lá, por cor, qualquer coisa que faça sentido, eu consigo perfeitamente imaginar o meu cérebro jogando uma pilha de papel pra cima e onde cair, fica. Ou anotando as coisas em guardanapos e depois assoando o nariz neles e jogando fora.

Coincidentemente, as duas coisas costumam ocorrer com certa frequência no mundo real, mas o ponto agora não é esse.

O ponto é que, com a resposta na cabeça, se eu deixo pra responder no daqui a pouco, meu cérebro entende que essa resposta já foi dada. E se a resposta já foi dada, eu não tenho mais que me preocupar com isso. Aí os dias passam, as semanas passam, eu dou uma olhada nos emails e percebo que a pessoa não deu mais sinal de vida. UÉ. Aí vou checar as mensagens e descubro que realmente, a pessoa não deu mais sinal de vida. E nem poderia, se quem teoricamente morreu primeiro fui eu. E isso acontece não só com email, mas com sms, inbox no facebook, mensagem direta no twitter, tags no instagram, até comentários no blog.

Aí entra naquela coisa horrível que a Allie Brosh comenta por cima em Hyperbole and a half: quando você vê que esqueceu de responder, fica com vergonha de fazer o que deve porque teria que admitir que esqueceu de responder, mesmo que seja porque pensou que já o tinha feito. E aquele email ou mensagem fica ali, um lembrete eterno do seu fracasso na vida.

Isso quando não digito a mensagem (no caso de ser pequena), apago e por algum motivo acho que mandei. Ou esqueço de dar o enter, caso mais raro, mas que acontece.

E o pior é que eu sei que se deixar pra daqui a pouco, essa confusão vai acabar acontecendo. Mas mesmo assim eu deixo, e ainda fico puta quando acontece. É tipo criança que apronta mesmo sabendo que vai ficar de castigo, aí fica de castigo e ainda fica chorando por isso.

Eu podia evitar tudo isso simplesmente respondendo as coisas na hora? Podia.

Eu vou fazer isso? Não vou.

Pra que simplificar, se eu posso complicar e reclamar depois, não é mesmo?