22 anos é tempo pra caralho


Essa semana fui encontrar uma amiga que mora fora do país já tem uns bons anos. A Mariana veio com o marido visitar os pais dela e conseguimos separar um dia pra colocar um pouco da conversa em dia, já que somos duas palhaças com cérebros que acham que é ok pegar o arquivo "preciso responder essa mensagem" e guardar na pasta "mensagem enviada", então nos falamos bem menos do que poderíamos. Mas nesse dia nós saímos, junto com outra amiga. Quando cheguei em casa, fui fazer as contas pra saber há quanto tempo a gente se conhecia, já que ela é minha amiga mais antiga. Demorei mais do que devia pra fazer as contas porque sou péssima com datas, e não conseguia lembrar de jeito nenhum em que ano tinha feito a segunda série (agora é terceiro ano, acho? Não sei? Não me importa?). Minha conclusão foi que eu conheço a Mari há 22 anos.

Vinte
e
dois
anos.

wow

Vinte e dois anos atrás, o pescoço da Priscilla ainda nem sustentava a cabeça dela.

Meu irmão, que hoje tem quase um metro e noventa de altura e já está no segundo ano da faculdade, nem sequer existia ainda.

A Bruna Marquezine também não.

O Yahoo! também ainda não tinha sido criado.

O Neymar ainda não sabia nem falar a palavra "bola".

É estranho pensar que tem alguém fora da minha família que eu conheço há tanto tempo assim. Se é comum que, ao longo da vida, amizades feitas do ensino médio pra trás sejam perdidas por falta de contato, imagina aquelas que você faz quando ainda tá começando a ler Monteiro Lobato?

VINTE E DOIS ANOS. Acho que nunca na vida nenhum relacionamento meu vai ser tão longo quanto isso.

Eu devo ter feito alguma coisa muito certa aí no meio.







2 comentários :