2016 chegou e não sabe o que tá acontecendo


Meu final de ano foi uma coisa meio season finale de um seriado bem meh que você assiste por ter com ele uma coisa meio síndrome de estocolmo, aí surge um plot twist muito louco nos últimos 5 minutos e você junta o resto do fandom pra começar as teorias enquanto a temporada nova não começa. E eu costumo ter um bom histórico com séries assim, que você continua assistindo sem ter certeza de porque tá fazendo isso com você mesma. Revenge assisti até o fim mesmo dizendo ao final de todo episódio que aquele seria o último. Grey's Anatomy já perdi as contas de quantas vezes larguei e voltei, e meio que já desisti de tentar largar. Big Bang Theory acho que é a coisa mais próxima de guilty pleasure que eu tenho, mas essa tenho fé que uma hora consigo largar de vez (já tô quase 2 temporadas atrasada, acho que é um bom sinal). Teen Wolf eu consegui largar. Acho.

2016, ao olhar em volta
De qualquer maneira, consigo imaginar 2016 chegando no portão de casa e pensando "ok, eu posso lidar com isso", até olhar em volta e dar de cara com uma maratona de Brooklyn 99 (total de 43 episódios em 2 dias e meio), um monte de poeira e papel sujo pelo chão, pelo de gato por todos os lados, procrastinação e Neko Atsume.

Dá quase pra visualizar 2016 virando as costas, falando "...nope" e indo embora.

2016, amigo, vem cá. Se eu não tenho escolha, você também não tem.


Nenhum comentário :

Postar um comentário